terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Em 1962 Globo foi contra a criação do 13º salário para o trabalhadores, hoje é contra aposentaria do povo

Em 1962 Globo foi contra a criação do 13º salário para o trabalhadores, hoje é contra aposentariaHá 55 anos, o presidente João Goulart, no dia 13 de julho de 1962, assinava a Lei 4.090, que criava a gratificação natalina, que ficou conhecida como o 13º salário, uma conquista histórica da classe trabalhadora. A Lei só foi criada graças à mobilização do movimento sindical da época. No dia 5 de julho de 1962, milhares de brasileiros organizaram, junto ao Comando Geral de Greve (CGG), uma greve nacional exigindo melhorias nas condições de trabalho, mais liberdade sindical e abono salarial.

Mas, os sindicatos e o governo Jango enfrentaram uma forte oposição contra a criação do 13º salário. O empresariado era contra o projeto alegando que ele elevaria o custo e resultaria numa “quebradeira geral” de empresas no Brasil. Parte da imprensa também atacou a decisão do presidente brasileiro. O jornal O Globo, de propriedade de Roberto Marinho, personalidade que defendeu ardorosamente o golpe militar de 1964, escreveu um editorial raivoso na época contra a criação do benefício. 

Na ocasião, Marinho acusou o presidente Goulart de fazer demagogia com a nova lei e que tal iniciativa iria quebrar empresários, levar à bancarrota a economia nacional e instalar no país o caos político e social. A previsão neoliberal não se cumpriu. Passaram se 50 anos e o país, é claro, não quebrou. Ao contrário, o 13º tornou-se um importante instrumento para elevar a renda dos trabalhadores e contribuir com o desenvolvimento econômico do Brasil. O que levou o país a um atraso e retrocesso político e social foi o golpe militar, apoiado pela mesma mídia e pelo mesmo empresariado que conspiravam contra Jango.. Fonte: Sindicato dos Bancarios

Edir Macedo e sua Igreja Universal são acusados de tráfico internacional de crianças em Portugal

A denúncia é de um canal de TV português, que exibirá uma série de reportagens sobre um suposto esquema de tráfico de crianças que a IURD exercia em Lisboa através de um abrigo; dois netos de Edir Macedo teriam sido “roubados” no esquema 
Edir Macedo e sua Igreja Universal são acusados de tráfico internacional de crianças

Vai ao ar na próxima sexta-feira (15), pelo canal português TVI, uma série de reportagens, intitulada “O Segredo dos Deuses”, sobre um suposto esquema de tráfico de crianças executado pela Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), fundada e presidida pelo bispo brasileiro Edir Macedo.

De acordo com a emissora portuguesa, a reportagem é fruto de uma investigação de sete meses com dez mil documentos e 40 processos consultados, sobre uma rede internacional de tráfico de crianças criada pela igreja de Macedo através do Lar Universal, abrigo para crianças carentes mantido pela IURD em Lisboa nos anos 90. O lugar, supostamente, recebia crianças de famílias pobres e as destinava a bispos da Universal de maneira ilegal.
Reportagem da TVI conta com depoimentos de mães que, 20 anos após o roubo dos filhos, resolveram se pronunciar pela primeira vez sobre o caso.

A chamada oficial da matéria pode ser conferida aqui.
*Com informações do Público PT via Revista Forum

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Jornal Nacional glamurizando a volta do fogão a lenha pelo aumento do Gás de cozinha por Temer e vira piada na internet



Jornal Nacional, da Rede Globo, fez reportagem sobre volta da “cozinha à moda antiga” — o fogão a lenha —, em razão do preço do gás (quase 70% mais caro de junho até agora), e virou piada na internet. Teve gente sugerindo que, depois da reportagem que glamurizou a lenha, o Jornal Nacional faça outra, sobre a substituição do carro pelo jegue e da energia elétrica pela vela. E mostre onde chegamos depois que a Globo ajudou Michel Temer a erguer a ponte para o futuro em cima do golpe que incinerou 54 milhões de votos.

sábado, 9 de dezembro de 2017

NOTA DE REPÚDIO À MATÉRIA SOBRE SERVIDORES PÚBLICOS VEICULADA NO JORNAL NACIONAL DE 05/12/2017 PARA ENGANAR A POPULAÇÃO NA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Wilian Boner e sua colega de jornal rindo e manipulando a população NOTA DE REPÚDIO À MATÉRIA SOBRE SERVIDORES PÚBLICOS VINCULADA NO JORNAL NACIONAL DE 05/12/2017

A Rede Globo veiculou no Jornal Nacional de 05/12/2017 matéria de cunho totalmente depreciativo sobre o serviço público, destacando relatório do chamado "Banco Mundial" em que foi constatado que servidores vivem em uma "ilha da fantasia" e tem salário descolados da chamada "realidade" da iniciativa privada.
Antes de analisar a total parcialide da matéria, vale destacar que muitas informações são prestadas de maneira incoerente e leviana. Ao dizer, por exemplo, que um advogado recém formado recebe em média R$ 3.500 reais no setor público e R$ 30.000,00 no Judiciário, esquece-se que no Judiciário ele não é advogado, mas sim Juiz, que é outra profissão, com outras prerrogativas e responsabilidades.
Diz também que uma "elite" de 17% do Executivo federal recebe mais de R$ 13.000,00. Ora, são essas justamente as funções típicas de Estado, como Auditores da Receita, Analista do BACEN, da CVM, da SUSEP, Delegados da Polícia Federal, Procuradores da Fazenda Nacional, Procuradores da República, etc. Como querer comparar essas funções com advogado iniciante no mercado de trabalho, por exemplo? Não tem nem cabimento.
A matéria esquece de dizer que os servidores públicos que ainda possuem direito à paridade (sim, também esqueceram de dizer que desde 2003 não existe mais paridade e que, quem entrar hoje, recebe no máximo o teto do INSS, igual a iniciativa privada) contribuem com 14% sobre o total da remuneração, enquanto na iniciativa privada contribui-se com no máximo 11% sobre o teto do INSS, e que no setor público o aposentado e pensionista continua contribuindo até falecerem. Convenientemente, também não informaram que o trabalhador do setor público não possui direito ao FGTS.
A pesquisa foi encomendada pelo Governo Michel Temer a fito de "endossar" e tentar algum apoio da população para a famigerada Reforma da Previdência, usando o mote de que estaria atacando supostos privilégios do setor público, e não influenciando as aposentadorias do setor privada, o que é uma mentira. O servidor público é o bode expiatório de uma reforma idealizada por um presidente sem nenhuma legitimidade popular, que atua em serviço dos grandes grupos econômicos, preterindo a grande massa da população brasileira.
Sempre é importante relembrar e observar quais grupos estão propagando essas mentiras nojentas sobre o serviço público e boicotá-los o máximo possível. Os grandes exemplos são a Rede Globo, MBL, partidos como PSDB, DEM, enfim, qualquer um que propague a falácia do "Estado Mínimo" e demonização do servidor público. Descurta, não vote, e convença alguém do seu lado a fazer o mesmo. Pelo bem do Brasil.
E, em 2018, na hora de votar, não se esqueça de como se posicionou o parlamentar nesses últimos 04 anos.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Boicote Aos Anunciantes da Malhação

Acabou nossa paciência com o Malhação, da Globo Lixo. Chega!! Vamos BOICOTAR os ANUNCIANTES!
 

Globo e Itaú sustentam movimento que apoia reforma de Temer

Globo e Itaú sustentam movimento que apoia reforma de TemerO Estadão noticia que ” foi lançado um novo movimento favorável à mudança [da Previdência], batizado de Apoie a reforma, cujo objetivo é esclarecer a população sobre a questão e pressionar os parlamentares a aprovarem a medida”. O “movimento” que usa vídeos de propaganda em favor das propostas de Temer, tem como articulador Luiz Felipe d’Avila, “presidente do Centro de Liderança Pública, uma organização voltada para a formação de líderes governamentais”.

Faltou, porém, dizer quem são os dirigentes e financiadores deste Centro, informação que está disponível na internet e deveria ser relevante quando se quer mostrar ao leitor que interesses movem esta posição.

Integram o Conselho Diretor – veja o time – os senhores João Roberto Marinho (Globo), Ana Maria Diniz (ex-Pão de Açúcar). Eduardo Muffarej (Abril Educação), Fábio Barbosa (ex-Santander e ex-Abril), entre outros, e é mantido pelo BTG Pactual (André Esteves e Persio Arida), pelo Armínio Fraga, o bancos Credit Suisse e Itaú, Shoppings Iguatemi e Bovespa.

Gente, claro, extremamente preocupada em ter com o que sobreviver na velhice.

É a “sociedade civil”, não é , Dra. Cármem Lúcia, participando do debate democrático com o discurso terrorista que a gente antecipou aqui:

“A Previdência é uma bomba-relógio que precisa ser desarmada ou não haverá dinheiro para pagar a aposentadoria.”, diz o tal “movimentista”.

Só haverá para pagar aos bancos, à Globo, aos ricos…
Do plantao Brasil